PROJETO DA CONSTRUÇÃO

Com o objetivo de proporcionar a integração da cadeia produtiva da construção civil, preparando os empresários para a inovação dos processos de gestão, com foco na busca de novas tecnologias, visando melhor desempenho e competitividade das empresas do setor, o Sebrae RS - Regional Sinos, Caí e Paranhana, será executor de um novo projeto em parceria com o Sinduscon-NH, Sinduscom-SL e Sinduscon-RS, denominado Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Construção Civil.

Face às mudanças no cenário econômico e de normatizações, principalmente com a Norma de Desempenho ABNT 15.575 que passou a vigorar em julho de 2013, o mercado da construção civil sofreu um grande impacto, refletindo positivamente na necessidade de maior qualificação de toda a cadeia produtiva. Diante disto, é necessário que se estabeleça um novo modelo de desenvolvimento da produção, por meio de ações integradas do setor com as empresas que compõem os elos da cadeia produtiva da construção civil.

Os focos estratégicos do projeto são: inovação tecnológica, qualidade e desempenho e integração dos elos da cadeia produtiva, os quais serão desenvolvidos através de duas grandes frentes: Norma de Desempenho e BIM - Building Information Modeling.

Primeiramente as empresas passarão por um diagnóstico, que determinará o tipo de ações que deverão ser desenvolvidas para aprimorar o seu desenvolvimento gerencial. Posteriormente, as empresas entrarão na fase mais tecnológica e de inovação, da seguinte forma:

Norma de Desempenho: Curso de nivelamento, clínicas (fornecedor, projetista e construtores) e consultoria.

Inovação - BIM: Curso de nivelamento, clínicas (arquitetura; instalações; estruturas; planejamento e custos de obras; análises) e consultoria. 

O parceiro técnico do projeto é o ITT Performance – Instituto Tecnológico em Desempenho da Construção Civil, da Unisinos.

O público alvo é formado por empresas que compõe a cadeia da construção civil, especialmente as de cerâmica vermelha, fornecedores de matérias-primas e máquinas, prestadores de serviços e escritórios de projetos.

As empresas devem ser formalizadas, com faturamento anual de até 3.6 milhões.

Após seleção, as empresas assinarão um Termo de Compromisso e passarão a fazer parte do grupo, recebendo os benefícios, mas também tendo obrigações a cumprir.

O projeto tem duração de um ano com possibilidade de estender para dois anos ou até mais, de acordo com o andamento do mesmo.